terça-feira, 20 de outubro de 2009

Tolerância e Autocrítica

Em tudo, como na vida, a razão mede-se pela força e qualidade das ideias, e não pelo insulto fácil a quem não pensa como nós...

Desse modo, a força de um partido mede-se pela capacidade de convencer as pessoas a votar nos seus projectos, principalmente quando têm ideias diferentes ou estão indecisas...

Por isso, caso afrontemos, à partida, malcriadamente e desavergonhadamente quem não pensa como nós, será extremamente difícil recrutar uma qualquer pessoa para a nossa causa...

Uma terra, uma região, um país, não é um partido, uma ideia, um projecto, uma coutada...
Uma terra, uma região, um país, é um sistema complexo de interesses antagónicos que têm de ser conciliados.

Logo, jamais algum partido poderá governar para todos satisfazer ao mesmo tempo. Pode sim, interpretar as necessidades e desejos da maioria...

Mas existirão sempre minorias vencidas, que não podem ser ignoradas...
A democracia é uma coisa difícil...

Exige de nós mais... Tolerância e Autocrítica.

Talvez em ditadura fosse mais fácil. Mas não seria, certamente (tenho a certeza), tão bom...

Um comentário:

Anônimo disse...

Se o artigo fosse publicado de manhazinha, diria que acordaste inspirado.
Mas é uma boa análise.

A. Almeida